Ser mãe é com certeza uma jornada cheia de alegrias e desafios e, muitas vezes, as novas mamães se veem em meio a um mar de informações sobre o que fazer e o que evitar durante este período especial. Todo mundo tem uma opinião e um conselho para dar, não é mesmo? Porém, entre os temas mais discutidos, tem um que sempre gera algumas dúvidas: exercício físico durante a amamentação

Afinal, principalmente para as mães de primeira viagem, a amamentação é uma experiência completamente nova. Tanto pelo período de adaptação, claro, quanto pelos desafios que algumas mulheres enfrentam nesta etapa. E lidar com os vários mitos acerca do assunto pode prejudicar o bem-estar tanto da mãe quanto do bebê. 

Para as mulheres que já tinham uma rotina de treino antes e durante a gestação, há aquela ansiedade de quando será possível (e seguro) retornar aos exercícios físicos. Mas claro, a partir de agora há um novo ser humano que passa a ser a prioridade e as preocupações com horários e disposição mudam para os possíveis efeitos na produção de leite e no bem-estar do bebê. 

Neste artigo, vamos explorar as preocupações comuns relacionadas ao exercício durante a amamentação, e desvendar, juntos, quais são os mitos e verdades acerca disso. Desta forma, você poderá tomar decisões informadas e sentir-se bem mais confiante na sua rotina de cuidados com seu filho! 

Quer saber mais sobre o assunto? Então confira até o final! 

O que acontece com o corpo da mulher durante a amamentação 

A amamentação é tão benéfica, tanto para a mãe quanto para o bebê, que a Organização Mundial de Saúde – OMS recomenda a continuidade até os dois anos da criança. No entanto, apesar das tantas vantagens, amamentar também causa uma série de transformações no corpo da mulher e que podem afetar sua rotina e saúde de várias maneiras. 

Começando pelo impacto hormonal e físico. Isso porque a produção de leite é regulada por dois hormônios: a prolactina e a ocitocina. Enquanto a prolactina ajuda na produção de leite, a ocitocina facilita a ejeção do leite e também pode promover sentimentos de calma e conexão com o bebê. 

Essas alterações hormonais podem afetar o estado emocional e físico da mãe, contribuindo, por exemplo, para o prolongamento da amenorreia (ausência de menstruação), o que pode ser visto como uma forma natural de espaçamento entre gestações. Mas cuidado! Amamentação não é método preventivo! 

A amamentação também aumenta a demanda energética do corpo. Afinal, produzir leite é uma atividade que consome muita energia da mamãe, exigindo cerca de 500 calorias adicionais por dia. E o que isso significa? Que manter uma alimentação nutritiva e bem balanceada é fundamental durante este período, como foi durante a gestação. Por isso, uma dieta rica em vitaminas, minerais, proteínas e carboidratos saudáveis não só suportará a produção de leite de qualidade, mas também ajudará a mãe a recuperar a energia perdida durante o parto e a lactação. 

E claro, a inclusão de atividade física regular no período de amamentação oferece vários benefícios que vão além da simples perda de peso pós-parto. Também ajudam a fortalecer músculos e ossos, além de fortalecer o sistema cardiovascular, melhorando a circulação e a capacidade pulmonar. 

Mas apesar de todos esses benefícios, quando é seguro voltar? 

Mitos e verdades sobre exercício físico durante a amamentação: entenda como conciliar a prática da atividade física na rotina com o seu bebê de forma saudável e segura 

Mitos e verdades sobre exercício físico durante a amamentação: entenda como conciliar a prática da atividade física na rotina com o seu bebê de forma saudável e segura 

Entender a verdade por trás dos mitos pode ser libertador! Primeiro para você, depois para os outros – uma vez que você também ajuda na promoção da verdade, por meio de explicações razoáveis e comprovações científicas. Afinal, muitas das pessoas que “disseminam” esses mitos por aí não o fazem por maldade ou com má intenção. A maioria simplesmente acredita e leva os conselhos adiante nas melhores das intenções, com o objetivo de ajudar. 

No entanto, na realidade de hoje, em que qualquer informação errada alcança um número surpreendente de pessoas em um curto período de tempo, é preciso ter cuidado com o tipo de conteúdo que recebemos e consumimos. Uma boa prática é sempre desconfiar, num primeiro momento, daquela ideia que soa um pouco estranha ou da qual você não tem o menor conhecimento. 

Por fim, com apenas alguns cliques, você terá acesso a uma infinidade de materiais preparados por especialistas no assunto, que incluem dados, comprovações e estudos acerca de praticamente qualquer assunto! Combater mitos está cada vez mais fácil, não é? 

Mas sabemos que, especialmente nesse período pós-parto, puerpério e amamentação, a mulher conta muito com sua rede de apoio e nem sempre tem tempo para checar cada conselho ou informação recebida. Então estamos aqui para resumir e facilitar. E não se preocupe! Nossa equipe do lado de cá fez todo o trabalho de checagem das informações. 

Vamos então desvendar alguns mitos? 

O que dizem os especialistas sobre o assunto? 

Antes de tratarmos mito por mito, verdade por verdade, precisamos compreender um ponto importante: os especialistas concordam, num consenso geral, que exercícios físicos moderados são não apenas seguros, mas também benéficos durante o período de amamentação. 

Dito isso, segundo pesquisas, a atividade física pode ajudar a melhorar o humor, reduzir o estresse e aumentar a energia geral — benefícios essenciais para mães que estão se adaptando à nova realidade com um recém-nascido. Além disso, nunca foi comprovado que o exercício físico afete negativamente a quantidade ou a qualidade do leite materno, desde que acompanhado de uma nutrição adequada e uma hidratação suficiente. 

Desvendando os mitos mais comuns 

Mito 1: o exercício afeta negativamente a qualidade do leite materno 

É um equívoco comum pensar que o exercício pode alterar a composição química do leite materno de maneira negativa. Entretanto, estudos mostram que a atividade física moderada não altera de forma significativa os componentes nutricionais essenciais do leite. Ou seja, não há razão para temer que seu bebê receba menos nutrientes só porque você está se exercitando! 

Mito 2: você deve esperar vários meses após o parto para começar a se exercitar 

Na realidade, o tempo adequado para uma nova mãe começar a se exercitar varia, mas muitas mulheres podem iniciar atividades físicas leves, como caminhadas, poucas semanas após o parto, desde que tenham o aval de seus médicos. O importante é ouvir o seu corpo e ajustar a intensidade do exercício de acordo com sua recuperação pós-parto. 

Mito 3: exercício físico durante a amamentação causa mastite 

Muitas pessoas acreditam que a prática de exercícios pode aumentar o risco de mastite, uma inflamação do tecido mamário que pode ser bastante dolorosa. No entanto, não há evidências científicas que vinculem diretamente a atividade física ao aumento do risco de mastite. A mastite é mais comumente causada por uma obstrução do leite ou infecção. Então, manter uma boa higiene e usar roupas adequadas e confortáveis pode ajudar a prevenir essa condição. 

Mito 4: a amamentação imediatamente após o exercício pode ser prejudicial ao bebê 

Algumas pessoas pensam que amamentar logo após se exercitar pode ser prejudicial devido à presença de ácido láctico no leite, que supostamente aumenta após o exercício intenso. Embora o nível de ácido láctico possa aumentar ligeiramente, não é em um nível que seja prejudicial ao bebê. Além disso, estudos mostram que o ácido láctico produzido durante o exercício não afeta o bebê e desaparece rapidamente do leite após o término da atividade física. 

Mito 5: exercícios físicos fazem o leite ficar “azedo” 

Este é outro mito que circula entre novas mães, sugerindo que o leite pode “azedar” ou tornar-se menos palatável para o bebê se a mãe se exercitar. No entanto, a qualidade e o gosto do leite materno não são afetados pelo exercício de forma alguma. O sabor do leite materno pode mudar ligeiramente devido à dieta da mãe, mas não há evidências de que o exercício altere seu sabor. 

É hora das verdades! 

Verdade 1: exercícios podem melhorar a saúde mental 

Exercitar-se regularmente é conhecido por liberar endorfinas, os chamados hormônios da felicidade, que podem ser especialmente benéficos para as mães no pós-parto, ajudando a combater sentimentos de ansiedade e depressão pós-parto. 

Verdade 2: a atividade física ajuda na recuperação pós-parto 

Exercícios apropriados podem ajudar a fortalecer o corpo da mãe, melhorar a postura e reduzir dores nas costas, que são comuns após o parto. Além disso, podem ajudar na recuperação da força muscular e promover uma melhor saúde cardiovascular. 

Verdade 3: exercícios físicos não diminuem o suprimento de leite 

Uma preocupação comum entre as mães é que o exercício físico possa reduzir a quantidade de leite que produzem. No entanto, estudos mostram que as mulheres que mantêm uma rotina de exercícios moderados não experimentam uma diminuição no suprimento de leite, desde que mantenham uma ingestão adequada de calorias e hidratação. É importante também ajustar a alimentação para compensar a energia gasta durante o exercício. 

Verdade 4: exercício físico pode melhorar a qualidade do sono 

Mães que se exercitam regularmente relatam frequentemente uma melhoria na qualidade do sono. Embora o sono possa ser interrompido devido às demandas do recém-nascido, o exercício pode ajudar a aprofundar os períodos de sono, tornando-os mais reparadores. Isso é essencial, pois um bom descanso é importante para a recuperação física e mental da mãe. 

Verdade 5: atividade física pode facilitar a socialização entre novas mães 

Participar de grupos de exercício ou aulas para novas mães pode ser uma excelente oportunidade de socialização. Afinal, principalmente as atividades em grupo são a chance de mães se conectarem, dividirem experiências, dicas e, claro, uma boa amizade que se tornará rede de apoio. Esse suporte social é muito importante para a saúde emocional! 

Dicas práticas para voltar a praticar exercício físico durante a amamentação 

Dicas práticas para voltar a praticar exercício físico durante a amamentação 
  • Opte por atividades de baixo impacto como caminhada, yoga pós-parto ou exercícios de fortalecimento leve. 
  • Beba bastante água! Especialmente quando se está amamentando e se exercitando ao mesmo tempo. 
  • Não ignore sinais de fadiga ou desconforto. Se sentir que algo não está certo, diminua a intensidade ou consulte um profissional. 
  • Tente amamentar seu bebê ou extrair leite antes de se exercitar, assim estará mais confortável durante a atividade. 
  • Encontre horários que se alinhem com a rotina de sono do bebê ou quando você tiver apoio de outras pessoas em casa. 
  • Invista em roupas de exercício confortáveis e adequadas. Dica: sutiãs de amamentação esportivos. 
  • Defina objetivos de exercício que sejam alcançáveis e realistas. Não se compare com seu desempenho antes da gravidez! 
  • Mantenha uma dieta equilibrada que suporte tanto sua atividade física quanto a amamentação. 
  • Varie nos tipos de exercícios físicos para se manter sempre motivada! 

Preparada para retornar à rotina depois das nossas dicas e informações? Então leia também: Pós-parto: quando voltar a treinar 

Deixe um comentário