Treinar no inverno vale duas vezes mais? É o que dizem os corajosos que acordam pela manhã para cumprir com o plano de exercícios. E sim, admiramos muito a sua coragem e disciplina, mas precisamos ser sinceros e dizer que os bons resultados estão mais ligados à constância, intensidade do treino e duração do que com a estação do ano.

Isso não significa, entretanto, que não haja vantagens em treinar no frio. Afinal, uma vez que seu corpo precisa gerar energia para manter-se aquecido, o gasto calórico pode ser ligeiramente maior do que em um treino no verão. Outro ponto interessante sobre as atividades físicas no frio é que as mudanças ocorridas no seu organismo para se adaptar às temperaturas mais baixas pode fortalecer o sistema cardiovascular e aumentar a capacidade pulmonar.

Além disso, o inverno pode ser muito mais confortável para a prática de exercícios físicos em ambientes fechados. Enquanto no calor o superaquecimento do corpo intensifica a sensação de fadiga e encurta o período do treino, causando mal-estar ou indisposição, o frio permite que você se mantenha focado por muito mais tempo.

E agora que você já conhece as vantagens de treinar no inverno, que tal aprender como manter o ritmo mesmo no frio e não falhar no planejamento? Vamos às dicas?

Como manter a boa performance ao treinar no inverno: dicas para manter a constância e não furar com o cronograma de exercícios

Em via de regra, treinar no inverno não é tão diferente dos demais períodos do ano. O plano de treino não deve mudar, mas pode ser adaptado, uma vez que é possível estender o tempo na academia ou reduzir o tempo das caminhadas ou corridas ao ar livre etc. O que você precisa manter em foco são os novos hábitos e cuidados com a sua saúde e bem-estar.

Use roupas adequadas

Ainda que você treine em casa ou um espaço fechado e aquecido, priorize roupas confortáveis e que mantenham o corpo aquecido. Roupas com tecnologia térmica ajudam a manter uma temperatura agradável, mas sem causar calor excessivo.

Se possível e se você se sentir mais confortável, experimente também substituir os shorts pelas calças próprias para exercícios físicos. Usar roupas de frio não significa que você precisa abandonar o top ou a regata preferidos do treino, mas não se esqueça de usar uma jaqueta ou blusa de frio para proteger o peito e as costas (especialmente depois do treino, ao entrar em contato com o ar frio externo).

Proteja as extremidades

treinar no inverno

Se você costuma sentir mais frio nas mãos e nos pés, orelhas e nariz, saiba que isso é muito normal. Porém, ironicamente, essas são as partes do corpo mais frequentemente expostas às baixas temperaturas, uma vez que geralmente cobrimos o tronco, os braços e as pernas. E sabemos como essa sensação de frio pode ser muito incômoda e atrapalhar qualquer tipo de atividade.

Por isso, invista em luvas, gorros e meias quentes e confortáveis que sejam adequadas ao tipo de exercício praticado e que ajudem no controle da temperatura corporal.

Para quem realiza treinos de força, as luvas também ajudarão (e muito) na sustentação dos equipamentos, além de evitar os calos e possíveis machucados nas mãos.

Repense os horários de treino

Os primeiros horários da manhã e os horários mais tarde da noite são os mais frios e devem ser evitados, a não ser que você realmente não tenha outra opção. Nesse caso, coloque uma roupa bem quente e bora para o treino!

Treinar mais no final da manhã, entre às 10h e 12h, pode ser uma boa opção. Próximo a esse horário o sol costuma estar mais em evidência e, naturalmente, a temperatura aumenta razoavelmente. Então aquela recomendação para os treinos no verão, de evitar os horários de pico, pode ser reconsiderada nessa época do ano. Para quem treina no período da tarde, os horários mais confortáveis são entre às 14h e às 16h.

Priorize locais fechados

Desde que sejam utilizadas roupas quentes e as extremidades do corpo estejam bem protegidas, não há problema algum em treinar em espaços abertos e externos nos horários de pico do sol. No entanto, especialmente se o seu treino é logo pela manhã, no final da tarde ou à noite, evite o lado de fora e dê preferência para ambientes fechados.

Isso porque, além de ajudar a manter a temperatura corporal, você evita os efeitos das oscilações do clima (como vento forte, chuva, neblina etc.), e ainda pode contar com equipamentos como aquecedores e similares.

Faça um aquecimento antes do treino

Antes de dar início ao planejamento do dia, que tal começar com alguns exercícios simples para aquecer o corpo? Depois do alongamento que já é padrão, experimente correr um pouco na esteira, pular corda ou outro tipo de atividade que aumente a circulação sanguínea. Após isso, quando se sentir mais confortável e com o corpo mais aquecido, comece seu treino daquele dia.

Podemos apostar que é bem provável que você comece o treino com algumas camadas a menos de roupa depois do aquecimento.

Capriche na alimentação

No frio seu corpo precisa queimar mais calorias para manter a temperatura corporal saudável, e ainda que isso ajude no emagrecimento, também interfere na sua disposição. Por isso, nada de pular refeições ou o pré-treino antes dos exercícios! A alimentação é um dos pilares principais para um corpo e mente resistentes e saudáveis e, claro, bons resultados na performance do seu treino.

Se você ainda não tem um plano alimentar, o ideal é procurar o apoio de um profissional especializado, como um nutricionista.

Beba água!

treinar no inverno

Sabemos que no frio é mais difícil manter a meta das garrafinhas de água. Além de perdemos menos líquido pelo suor, no inverno não temos aquela sensação constante de que precisamos nos refrescar o tempo todo. Mas isso não significa que seu corpo não precisa ser hidratado!

Especialmente se você mantém o ritmo do treino no inverno, é preciso se hidratar antes, durante e depois dos exercícios. E não se esqueça que a água é o principal elemento do seu corpo e fundamental para a boa digestão, circulação, imunidade e funcionamento de todos os órgãos do seu corpo.

Beba água!

Gostou do nosso conteúdo? Então leia também: Treino em dupla: dicas práticas para melhorar a performance do treino em grupo

benefícios do treino funcional

Deixe um comentário